Reestruturação

 Reestruturação

“… reedifiquemos os muros de Jerusalém e deixemos de ser opróbrio.”  Neemias  2: 17

O Brasil é considerado um dos países que mais forjam talentos versáteis, munidos de espírito de luta e muita criatividade. Não é para menos, pois no passado, convivíamos com uma inflação de 50% ao mês.

Em caso de situação caótica, para o restabelecimento da condição de normalidade, sempre é escalado alguém com características e capacitação para gerir o processo de reestruturação.

A matéria intitulada “Operação Resgate” assinada por Eduardo Ferraz, da revista Exame, Ed. 754 – ano 35 – nº. 24, de 28 de novembro de 2001, p. 66 e 67, mostra como Fernando Tigre conseguiu trazer a Alpargatas de volta à vida. “Tigre assumiu o cargo em 1997 com a missão de tirar do buraco uma das maiores fabricantes de calçados e de produtos têxteis do país. A partir de 1988 a empresa interrompeu um longo processo de declínio iniciado nos anos 80 e voltou a registrar lucro. Para reverter a situação, nos últimos quatro anos Tigre promoveu um choque de modernidade gerencial.” Conforme relata: “‘Quando entrei na empresa os funcionários andavam cabisbaixos. ’” e continua, “‘Vi como a organização era hierarquizada e amarrada, e cheguei a duvidar que fosse possível virar o jogo. Depois de duas semanas, falei para minha mulher que eu havia acabado com a minha carreira. ’” “Ao contrário do que imaginava, o trabalho na Alpargatas tornou-se a principal realização em seu currículo.”, constata a matéria.

                Neemias no período do cativeiro na Babilônia desempenhou a função de copeiro do rei Artaxerxes I, um cargo de extrema responsabilidade, pois garantia que o vinho do rei não estivesse envenenado. Segundo alguns autores, levando-os a estabelecer fortes laços de confiabilidade, a ponto de o copeiro vir a ser um conselheiro íntimo do rei. Ao saber da humilhante situação de sua cidade, Jerusalém, – muito embora o povo já estivesse retornando do exílio, suas muralhas de proteção ainda não haviam sido reconstruídas. Suplicou a Deus, para que o abençoasse diante do rei e este, permitisse seu regresso para proceder à reconstrução dos muros.

                Mediante o soberano propósito e mediação de Deus, Neemias conquistou do rei não somente a autorização do seu retorno para Jerusalém, mas sua proteção e financiamento da obra. Então, demonstrando grande habilidade de liderança e de organização o trabalho de reconstrução dos muros foi executado em 52 dias.

                O desempenho de Neemias em cada etapa da sua tarefa nos leva a concluir que, o que tivermos para realizar, seja feito como se tudo dependesse de nós, porém, em tudo dependendo de Deus.

Vagner Queiroz

é teólogo, Ministro Presbiteriano, idealizador do ministério vidaabundante.net.br e Gerente de Mobilização de Recursos com Igrejas, na Visão Mundial Brasil, desde 2015, no escritório de São Paulo.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *